Friday, November 17, 2006

...nao hoje, mas no passado dia 13...

But not for me (Billie Holiday)

Desistir do rosto, dos propositos, das
palavras. Ha silabas assim.
Com a vergonha do afecto
emprestada ao desalinho das mesas.

Por ali, encenando a imobilidade,
a rudeza de haver dor.
Eu sei que nao viras.
Bebo por ti, sem ti, contra ti,
com o coracao no bengaleiro
a fingir que nao, nao faz diferenca.

E o pior e que ate faz,
por muito que ninguem o saiba.

Manuel de Freitas (1972)

Friday, June 30, 2006

Border line

O que respondo se me dizem "agora nao posso falar, tenho telefonemas importantes para fazer!"?
Faco beicinho? Amuo? Ignoro?
Arre!, as relacoes interpessoais sao mais complicadas do que um doutoramento em caixinhas!
Homens border line...

Sunday, June 25, 2006

Portugal-Inglaterra

Scolari ja decidiu. No proximo jogo de Portugal a substituir Deco estara... a padeira de Aljubarrota!

Rugby-soccer

Estranho... Hoje estava eu preparada para assistir a um jogo de futebol (sim porque eu sou uma gaja que aprecia estas coisas de homem cavernoso) quando me sai assim uma versao rugby-soccer do pior! O arbitro uma noja, os jogadores a beira de um ataque de nervos, Scolari capaz de saltar para o campo a cuspir fogo pelas ventas... Oh well, passamos... A ver se com a Inglaterra achandram as hormonas.

Saturday, June 24, 2006

Sao Joao e as quadras sanjoaninas

Ha quem ande de alho porro, a comer deliciosas sardinhas, a dancar nos bailaricos da baixa alta ou melhor ainda da baixa bem la em baixo, depois de ter passado pelo 'ta-se bem para um atesto de tracadinhos. Ha ainda os que cantam as tradicionais quadras sanjoaninas e as ensinam a almas vazias que se escondem dos Sao Joes em ilhas reias!
As minhas quadrinhas foram estas ate o sol me fazer companhia e me mandar para casa! Yehep, I nearly lost it...



Friday, June 23, 2006

Importante

Nunca durmas com quem trabalhas, nunca trabalhes com quem dormes.
Boring but true...

Saturday, June 10, 2006

O mundial dos tristes e dos alegretes

Dizia um português entrevistado por um jornalista de uma estação de televisão nacional, “dizem que os alemães são frios, mas isto aqui está espectacular, uma festa”. Eu sinceramente não sei qual é a origem do mito segundo o qual a malta do norte da Europa é fria e triste e os do sul estão sempre alegretes! No que toca aos portugueses eu sinceramente acho que vivem sempre numa depressão colectiva. É até angustiante, e difícil para quem cá vive, não se deixar afectar por tal estado de espírito. Aliás basta observar o comportamento dos adeptos portugueses nos estádios de futebol: mal o seu clube começa a perder debanda tudo do estádio para fora, cabisbaixos e taciturnos...

A selecção do trânsito...

A selecção portuguesa ao que parece ficou presa no trânsito lá na Germania. Os repórteres portugueses estão chocados – então os jogadores portugueses não têm batedores para os levar até Colónia? (“...e sem batedores a selecção portuguesa não vai poder passar nos vermelhos” diz chocado o jornalista da Sic Notícias). Triste, triste, triste o provincianismo da comunicação social portuguesa. Deveras triste!


PS: Têm batedores a selecção da Inglaterra, por causa dos hooligans; e as selecções dos EUA e Irão, ambas pelos mesmos motivos...

O mundial nos bordéis

O repórter de imagem da CNN vai passeando a câmara de filmar pelo Bordel berlinense Ártemis. Os cromados, os espelhos, os sofás vermelho-vivo, as camas redondas, está tudo lá. As mulheres, que se auto-intitulam trabalhadoras do sexo garantem que não são exploradas e que têm até segurança social porque pagam impostos. Ao que parece, relata admirado o repórter norte-americano, os alemães são favoráveis à prostituição desde que esta seja legal. Mais estranho ainda para este senhor parece ser a posição das feministas alemãs que não são contra a prostituição enquanto actividade laboral mas sim contra os proxenetas e a exploração. Praise the Lord!

Wednesday, June 07, 2006

Monogamia, eis a questão...

Ontem à noite uma calor que não se podia. Que fazer? Ir para uma esplanada, enfiar umas bejecas e jogar conversa fora. Nada melhor! Eu e dois gajos. A conversa viajou por todos os lugares, não se perdeu em contemplações pelos ausentes e terminou numa interessante discussão sobre a monogamia. Somos ou não talhados para esta estranha forma de vida? Confesso que a minha posição em relação a este assunto, de suma importância, não é de todo clara. Por um lado acho que sim, que monogamia é que é. Mas não sei se esta minha posição não se fundamenta numa opinião culturalmente informada. Ou seja, nós mulheres sabemos bem que quando a monogamia não existe, a sua inexistência só privilegia os homens. Estes podem ter 20 mulheres, cada uma das 20 tendo no entanto de se manter ‘monogamica’. Portanto, histórica e culturalmente a monogamia nunca se traduziu em vantagens para o sexo feminino. Bem pelo contrário. Contudo, gostava sinceramente de conhecer alguém que tendo uma relação estável e supostamente monogamica nunca tenha sequer pensado em ‘trair’ o outro. Alguém que nunca tenha sentido desejo, atracção, curiosidade por outro(a) que não aquele(a) com quem partilha o seu monogamico dia-a-dia. Significará isto a impossibilidade de essas duas pessoas continuarem juntas? A própria concretização do desejo furtuito, será mesmo um indício de desamor?

Uma das melhores expressoes....

...que ouvi nos ultimos tempos:
"Ele(a) e um desperdicio de pele humana!"

Delirios...

A flor que és, não a que dás, eu quero.
Porque me negas o que te não peço.
Tempo há para negares
Depois de teres dado.
Flor, sê-me flor! Se te colher avaro
A mão da infausta esfinge, tu perene
Sombra errarás absurda,
Buscando o que não deste.

Ricardo Reis